sábado, 15 de fevereiro de 2014

Sinto-me só no meio da multidão



Por vezes somos assolados por sentimentos que não conseguimos dominar, sentimentos que nos parecem únicos. Sentimo-nos diferentes de tudo e de todos e o nosso sofrimento é, com certeza, o maior do mundo.

Os motivos podem ser os mais variados, desde uma doença que pensamos ter e sentimos todos os sintomas, a uma falta de realização profissional que nos faz sentir a pior pessoa do mundo, a uma falta de ter alguém que nos ame verdadeiramente ou ainda grandes problemas financeiros que não parecem ter solução.



Nesse exato momento que nos sentimos assim, parece sem dúvida nenhuma, que somos os únicos no mundo que vivemos desta forma. Nossos amigos parecem realizados e felizes e por vezes colocamos máscaras que nos fazem parecer de bem com a vida, mas no íntimo de nosso ser o sentimento é outro.

A potencialização exagerada de qualquer sentimento significa uma completa falta de domínio sobre a sua vida, e não dominar a vida significa falta de equilíbrio pessoal. Quem um dia já não passou por isso? Mas o mais importante é não querer permanecer nisso e nunca achar que a sua realidade daqui para frente será essa.

O caminho da transformação ocorre quando estamos dispostos a mostrar o que ocorre conosco, a expor o que sentimos agora, a eliminar as máscaras e demonstrar que somos seres falíveis. Por tudo que aprendemos desde a infância, entendemos que a felicidade, primeiro, precisa ser criada no nosso exterior e esse é, então, nosso maior engano e a origem de nosso sofrimento.

Não temos como esconder o que sentimos dentro de nós mesmos. É, então, chegada a hora de não mais se sentir só e único em seu sofrimento, é chegada a hora de se conhecer melhor de eliminar os bloqueios interiores que a levam a angústias. É chegada a hora de entendermos que somos parte do todo e por isso a nossa contribuição é por demais importante. Se eu sofro, entristeço o todo também.

É, sem dúvida nenhuma, muito mais fácil culpar o destino, as outras pessoas, as circunstâncias da vida, do que levantar a cabeça e decidir pela sua transformação. Felicidade significa harmonia interior, é ter Deus presente em sua vida, somente assim você poderá estar vivendo sobre Ordem Divina e viver, desta forma, significa a cada momento ter seus passos planejados por forças maiores que a levarão rumo à felicidade.

O Universo inteiro está dentro de você. A única forma de alcançar esse imenso potencial que há dentro de você é pelo caminho do autoconhecimento. É entender o porquê de sentimentos ruins à sua volta, é entender o porquê se sente só e diferente dos outros.

Entender que o sofrimento não pode fazer parte de sua vida, você não nasceu com ele, é entender, acima de tudo, que estamos aqui por uma missão maior e que quando nos interiorizamos e descobrimos, então, a vida passa a fazer sentido.

Para alcançar a felicidade temos que primeiro eliminar as causas de nossas infelicidades, e a Radiestesia pela Mesa Radiônica com a "Medição" de ambientes, e o equilíbrio das energias pessoais e eliminação de bloqueios pode esclarecer esses pontos e então tratá-los.

Quanto mais você direcionar a sua energia para os caminhos corretos mais entenderá que a vida pode sim ser um mar de rosas. Estar com a vida em Ordem Divina significa entender que tudo acontece na hora e na medida certa, que não precisamos lutar e matar um leão por dia. Temos apenas que canalizar nosso potencial para a direção correta.Você pode até conhecer suas deficiências, mas com certeza não conhece suas causas.

Há alguns tempo atrás atendi uma moça do interior de São Paulo à distância, no relato de sua história havia muito sofrimento e dor, se sentia diferente de todas as pessoas e parecia que buscava o sofrimento como maneira de chamar a atenção, se colocava como vítima em tudo que fazia e a explicação dos fracassos sempre estavam associadas ao destino.

Quando me procurou disse estar tentando fazer a última tentativa para ser feliz, eu lhe disse que a transformação seria feita por ela mesma, que eu sempre me colocava como um instrumento a esta realização pessoal.

Realizei então a consulta e identifiquei que a sua frequência vibratória geral estava muito baixa, que a sua frequência emocional também estava muito baixa e associada a vibrações de pensamentos e emoções negativas constantes.

No âmbito de vibração espiritual a conexão com o Divino quase não existia, e esta não conexão significa não haver o contato com o Supra Consciente. No âmbito mental havia uma enorme falta de entrega e confiança no todo, ela permanecia no controle todo o tempo como se a qualquer momento uma enorme traição viesse até ela.

Parti então para a identificação dos bloqueios, que se referem a situações marcantes que fazem com que suas energias fiquem presas. Os bloqueios são a causa de nossa infelicidade, a energia estagnada nesse momento fica pulsando ao longo de sua vida fazendo com que a sua energia fique presa àquele momento.

Na tentativa desesperadora de sair desta situação você repete circunstâncias com o intuito de um final feliz, mas enquanto o bloqueio energético não for eliminado a situação irá se repetir com o mesmo final triste de rejeição e infelicidade.

Identifiquei então um momento marcante na infância desta moça quando ela tinha quatro anos. Ela então me descreveu a situação, foi quando meu pai saiu de casa depois de uma enorme briga com minha mãe. A origem da briga se deu quando ela quebrou um precioso vaso da mãe.

Eliminei então o bloqueio na Mesa Radiônica e disse então a ela: de maneira racional hoje você pode claramente entender que a briga e separação de seus pais não foi por sua culpa e sim por inúmeros motivos que passaram juntos, mas energeticamente você se sentia presa a este momento e isto a fazia se sentir rejeitada e culpada por tudo de ruim que pudesse vir a acontecer para os outros e a si mesma.

Disse então a ela a sua energia está equilibrada e você está livre de bloqueios permita que a vida aconteça para você. Algum tempo depois, recebi um e-mail desta moça dizendo estar muito feliz e realizada, sentia que dia-após-dia sua conexão com o Divino vinha aumentando. Começou a sentir gosto pela vida e encontrou finalmente um significado para sua vida.

Passou a se sentir importante na vida dos outros. Ela me relatou que esta mudança era gradativa, e se sentia como se de fato nunca houvesse passado por este sofrimento. Eu apenas lhe disse: sua vida agora foi colocada em Ordem Divina e houve um despertar interno em busca de seu autodesenvolvimento.

Maria Isabel Carapinha



Radiestesista e trabalha também com Feng Shui.
Ministra cursos e faz atendimentos em residências e empresas.
Trabalha também com a mesa radiônica fazendo atendimentos em seu consultório ou à distância.
Visite meu Site e Acompanhe Maria Isabel Carapinha no Facebook
Email: isabelc@uol.com.br

Fonte: Somos Todos Um

Nenhum comentário:

Postar um comentário