terça-feira, 6 de agosto de 2013

O que a Sombra nos revela...





Quando ouvi falar pela primeira vez que... se uma coisa nos incomoda no outro é porque também temos aquilo... nem acreditei.






Com o tempo e a busca por me conhecer melhor... fui entendendo como isso tinha sentido e, com o Ho'oponopono... acabei percebendo que isso não só é verdadeiro mas é um caminho precioso para a nossa liberdade.

Projetamos no mundo ao nosso redor aquelas coisas que mais rejeitamos em nós... algumas coisas que não gostamos até podemos ter consciência delas, mas... as partes mais difíceis de serem aceitas, ficam tão escondidas no território da sombra que, a única forma de olharmos para elas é através do espelho fornecido por pessoas e situações.

Tem um tempo que já faço esse trabalho com a sombra... de buscar o que de precioso ela esconde... o que de precioso ela pode revelar...Mas, sabia que ainda poderia me aprofundar mais... e pedia por isso.

Se nossa vida ainda não está plena em todas as áreas é porque ainda podemos fazer algo para mudar o que não está bom... e sentia que a sombra era uma chave preciosa...Quando damos o passo de querer olhar para tudo que somos, e de ir fundo nessa busca de nos conhecer por inteiro, o Universo sempre facilita o caminho...

E foi assim que chegou às minhas mãos o livro "O Efeito Sombra" do Deepak Chopra e mais duas autoras... e daí cheguei a um livro de uma dessa autoras, Debie Ford, que estou adorando porque mostra como trabalhar esse lado tão negado da nossa natureza. O livro é "O Lado Sombrio dos Buscadores da Luz".

Na medida em que estou lendo e trabalhando em mim, seguindo as dicas que ela vai dando, a mudança é incrível... Sinto uma acelerada no processo de tomada de consciência e as mudanças na minha realidade refletem a transformação interna.

Sempre acreditei que, muitas vezes, o que a gente tem mais medo é o que a gente mais quer, como me ensinou uma vez um Mestre muito especial... e na apresentação desse livro tem essa frase no final que me chamou a atenção: "Os impulsos que mais tememos podem ser a chave para o que está faltando em nossa vida."

É que muitas vezes ao buscar a Luz, sem perceber, vamos negando o que, equivocadamente, pensamos não ser bom... e, com isso, vamos negando partes preciosas de quem somos... E tudo que tentamos reprimir se volta contra a gente de uma forma descontrolada nas horas que menos queremos...

Quem também nos ensina a entrar em contato com partes negadas da nossa natureza é Clarissa Pinkola Estés, em "Mulheres que correm com os Lobos", que também foi um livro precioso na minha caminhada e continua sendo...

Segundo Clarissa, a exemplo das florestas virgens e dos animais silvestres, os instintos foram devastados e os ciclos naturais femininos transformados à força em ritmos artificiais para agradar aos outros.

Mas sua energia vital pode ser restaurada por escavações "psíquico-arqueológicas" nas ruínas do mundo subterrâneo. Até o ponto em que, emergindo das grossas camadas de condicionamento cultural, apareça a corajosa loba que vive em cada mulher.

"O espectro da Mulher Selvagem ainda nos espreita de dia e de noite. Não importa onde estejamos, a sombra que corre atrás de nós tem decididamente quatro patas".

"0 arquétipo da Mulher Selvagem, bem como tudo o que está por trás dele, é o benfeitor de todas as pintoras, escritoras, escultoras, dançarinas, pensadoras, rezadeiras, de todas as que procuram e as que encontram, pois elas todas se dedicam a inventar, e essa é a principal ocupação da Mulher Selvagem.

Como toda arte, ela é visceral, não cerebral. Ela sabe rastrear e correr, convocar e repelir. Ela sabe sentir, disfarçar e amar profundamente. Ela é intuitiva, típica e normativa. Ela é totalmente essencial à saúde mental e espiritual da mulher".

Rúbia A. Dantés


Designer, cria mandalas e ilustrações em conexão...
Trabalhos individuais e em grupo, com o Sagrado Feminino, o Dom e o Perdão...

Fonte: Somos Todos Um

Nenhum comentário:

Postar um comentário